Motion graphic – também conhecido como motion design, design de animação ou ainda videografismo – é um recurso de design digital que utiliza elementos visuais abstratos, gráficos e formas junto com recursos de áudio, como música e efeitos sonoros. Pode-se dizer também que o Motion é a união entre linguagem, design e animação. Ou ainda, de forma mais simplista, é a animação de gráficos. É comumente utilizado em vinhetas de televisão e cinema, clipes musicais e infográficos.

 

Apesar do Motion Graphic ter evoluído (e muito) junto com os computadores, sua raiz veio do cinema, no início do século XIX. O francês George Méliès foi um dos pioneiros nos efeitos especiais manuais e uma grande inspiração, principalmente o filme “viagem à lua”. Seu legado, como os efeitos, as fantasias, os cortes de câmera e a inovação serviram de legado para o Motion. A data do surgimento da técnica é um pouco incerta. Grande parte dos autores atribui ao escocês-canadense Norman McLaren, na década de 40 e Saul Bass, em meados de 1960 – colaborador assíduo de Alfred Hitchcock.

 

Norman McLaren – Dots

 

Saul Bass – Psycho

 

Saul Bass – Anotomy of a murder

 

Para comemoração, Saul Bass inclusive ganhou um Doodle do Google:

 

O Motion e o cinema sempre andaram lado a lado. E graças a esses nomes (e mais tantos) a abertura dos filmes deixou de ser apenas informativa e ganhou mais emoção, preparando o espectador para o que estava por vir.

A partir da década de 80, as inovações tecnológicas surgiram permitindo animações em 3D mais avançadas e composições digitais de Motion Graphic. É a partir daí que surgem também as vinhetas (“fly logos”) para a TV. A MTV foi uma das pioneiras que investiu e inovou a técnica como estilo de identidade visual, servindo de modelo para outros canais.

Vinhetas do canal MTV da década de 80:

 

Abertura do programa Fantástico, da TV Globo, de 1983:

 

E com a inovação, maior é o crescimento e as possibilidades de criação do Motion Graphics. A tecnologia inclui cada vez mais novos recursos e técnicas, possibilitando novas opções de criação e manipulação de imagens. O 3D, novos recursos de animação e a alta qualidade das imagens são só alguns dos recursos que não existiam antigamente. Hoje existem até programas específicos de Motion, como After Effects, Toon Boom, Cinema 4D, Flash – Animate e In Design.

 

Vídeo com Motion da Apple, anunciando o iMac Pro:

 

Comercial da Nike, da chuteira Mercurial Superfly:

 

A demanda por profissionais de Motion Graphic ainda é alta, já que há poucos profissionais com qualidade e a quantidade de trabalhos está aumentando. Além de clipes musicais, vinhetas de filmes e televisão, também pode ser usado em infográficos animados, na área da educação e em vídeos que precisam de um impacto visual.

Receba nossos artigos!
Nós respeitamos sua privacidade.