O que está por trás dos sucessos de Christopher Nolan

Se você gosta minimamente de cinema, com certeza já ouviu falar de Christopher Nolan por aí. Não é para menos, pois seu nome está por trás de grandes sucessos do cinema, como a trilogia Batman (Batman Begins, 2005O Cavaleiro das Trevas, 2008 e O Cavaleiro das Trevas Ressurge, 2012), A Origem (2010), Interestelar (2014), Dunkirk (2017).

O britânico é diretor de cinema, roteirista e produtor, e seus – até agora – 10 filmes lançados já arrecadaram mais de US$4.2 milhões. Mas o que está por trás de todo esse prestígio? Nolan tem certas características próprias como diretor, que fazem seus filmes se destacarem em meio à multidão. Veja só:

Simplicidade

Na contra-mão das produções de Hollywood, recheadas de efeitos visuais complexos, Christopher Nolan segue a linha mais próxima ao minimalismo, onde os movimentos – mínimos – só são feitos se extremamente necessários. Tudo isso para não distrair o espectador do ponto principal da obra: a história.

Realismo

Outro característica muito marcante em seus filmes é se aproximar oa máximo do realismo onde poderia se chegar mais fácil por meio de artifícios. Por exemplo, em cenas de A Origem, Nolan optou por criar explosões reais, ao invés de apostar exclusivamente em computação gráfica, e depois trabalhar as cenas no pós-produção. Isso ajuda a conferir um realismo crucial para quem está incitando a audiência a se questionar sobre a realidade. Outro exemplo nesse sentido é a sua trilogia do Batman, onde a batcaverna foi construída, de fato, no subsolo, para se aproximar ao máximo de uma caverna.

Sombras

Geralmente, o rosto dos personagens fica iluminado de ambos os lados pela luz principal. Mas não nas produções de Christopher Nolan. O diretor gosta de brincar com o jogo de luz e sombra, deixando praticamente 3/4 do rosto do personagem na sombra, pois isso ajuda a explorar a verdadeira natureza do personagem.

Amplo campo de visão

Nolan costuma filmar muitas de suas produções em 65mm, o que proporciona um campo de visão mais amplo. Aliado a locações incríveis que costumam ser escolhidas para as filmagens, a sensação é de criar lugares extraordinários.

Planos

Ao invés de criar vários planos abertos e close-ups durante um diálogo entre personagens, o diretor, geralmente, usa um plano médio, onde aparece o rosto de quem está falando, rosto e ombros do receptor e um pouco do ambiente ao redor. Porém, ao longo da conversa, a cada troca de interlocutor, a cena vai se aproximando cada vez mais do rosto dos personagens, muito sutilmente, dando a sensação de que o telespectador está se aprofundando junto no assunto.

Receba nossos artigos!
Nós respeitamos sua privacidade.