Redes sociais e o mercado de ações

As redes sociais têm o poder de amplificar qualquer coisa: uma música nova, uma notícia, uma opinião. Tudo o que cai na rede toma uma proporção gigantesca graças ao efeito cascata proporcionado pelo compartilhamento e impacto que gera nos usuários.

Um cantor amador conhecido apenas no seu bairro pode se transformar em um astro mundial nas mãos das redes sociais, bem como um artista reconhecido e com anos de carreira pode cair no limbo se tiver uma atitude vista como negativa e ela se espalhar como rastro de pólvora. Quantos exemplos desses já não vimos acontecer ao longo dos anos?

Um estudo publicado pelo Plos One fala exatamente sobre isso, como sentimentos gerados nas redes sociais causam um efeito dominó gigantesco. E se isso acontece com pessoas, marcas e empresas não têm como ficar de fora da avalanche chamada rede social.

Você já parou para pensar em como as redes sociais podem interferir no mercado de ações?

Um exemplo foi o que aconteceu com Elon Musk em 2018. O dono da Tesla postou no Twitter que iria fechar o capital da empresa e colocar o valor da ação 22% acima do que o praticado no momento. Os investidores ficaram alucinados e as ações dispararam. Depois, o empresário recebeu críticas negativas e foi acusado de manipular informações, e as ações despencaram.

Isso porque, como a notícia veio diretamente do dono da empresa, a confiança e credibilidade da informação é vista como alta pelos investidores, diferentemente se o anúncio fosse feito por uma revista ou site de economia, por exemplo. Isso é algo que somente as redes sociais proporcionam, esse canal direto entre empresa e público, algo que não era possível antes da era da internet.

Outra situação onde um simples tweet bagunçou as ações de uma grande empresa foi quando a socialite Kylie Jenner perguntou na rede se alguém ainda abria o Snapchat ou se só ela não fazia mais isso. Menos de duas linhas no Twitter e as ações da empresa perderem desastrosos US$1.3 bilhão.

E sua empresa, está preparada para lidar com as oscilações e sentimentos provocados em massa pelas redes sociais?

Receba nossos artigos!
Nós respeitamos sua privacidade.