O aumento pela demanda de Motion Graphics cresceu consideravelmente nos últimos anos. O Motion é uma forma de animação gráfica, utilizando elementos visuais abstratos, gráficos, formas textos ou números.

 

As possibilidades de criação do “MoGraphs” são gigantes. Com a tecnologia, novos recursos e técnicas são criados, possibilitando novas manipulações de imagens. Os programas mais utilizados para sua criação são o Adobe After Effects, Toon Boom, Apple Motion, Cinema 4D, Flash – Animate e o In Design. E sua utilização varia entre diversos estilos de vídeo, como vinhetas, clipes musicais, propagandas, vídeos institucionais e também infográficos.

 

É claro que há outros tipos de animação, como a tradicional, a 2D e 3D, a digital ou a stop motion. Mas o grande diferencial é que o Motion trabalha muito mais com elementos gráficos e textos.

 

A tendência do Motion deve perdurar por um bom tempo. Isso porque o conteúdo em vídeo vem crescendo cada vez mais, como já falamos por aqui: Consumo de vídeos vai crescer ainda mais”.

 

O Motion Graphic pode entrar em conteúdos super produzidos ou outros mais simplistas. Não há uma regra. De uma maneira simples e eficaz, ele consegue transmitir informações complexas com movimento e um visual atraente. Muitas vezes utilizando também recursos de áudio e texto. Seu poder de síntese ajuda muito a demonstrar dados, gráficos e números. Assim, seu público consegue captar muito mais facilmente as informações e ainda lembrar do seu vídeo.

 

 

O vídeo do Rafael Lima conta um pouco da história do Motion, seu desenvolvimento – ligado à computação gráfica e evolução tecnológica, e suas áreas de atuação principal: cinema, televisão e o vídeo digital – com videoclipes, vídeo-artes e cinematics para games.

 

 

Já o vídeo do Brainstorm Tutoriais entra mais a fundo no tema e explora quatro estilos mais utilizados. Aqui, fizemos um breve resumo deles e pegamos as mesmas referências:

 

 

Colagem:

A técnica de colagem utiliza várias imagens recortadas e sobrepostas. É uma forma muito popular no design. A composição utiliza diversos tipos de textura, ruídos e estilos. Como exemplo, há o clipe do Green Day, Bang bang:

 

Liquid Motion:

O Liquid Motion é um estilo que exagera nas partículas, criando um aspecto líquido na imagem. O estilo utiliza diversas técnicas de composição de cores, como as análogas e as complementares. Para saber mais sobre  “Como as cores influenciam o público” clica aqui!

E confere o vídeo do in60seconds sobre esse tipo de motion:

 

Isométrico:

Já o isométrico cria um aspecto 3D, mesmo não utilizando todas dimensões. O efeito é criado usando a simetria nos ângulos dos objetos, como neste vídeo do Device:

 

Flat motion:

É um dos estilos pioneiros do motion na internet. Ele utiliza as imagens em 2D, sem profundidade, chapadas e com cores sólidas. É muito utilizado em infográficos e vídeos profissionais, como esse do Dennis Hoogstad.

Receba nossos artigos!
Nós respeitamos sua privacidade.