Novas tecnologias: HDR na produção de vídeo

HDR é a bola da vez quando se fala de tecnologia de imagens, mas o conteúdo que você consome e o aparelho que você usa realmente estão prontos para ela?

O High Dynamic Range, ou Alto Alcance Dinâmico, tem esse nome porque basicamente expande a gama de cores por cada pixel da TV de forma dinâmica.

Ok, mas o que é isso na prática? O resultado disso são partes de imagens escuras mais escuras e partes claras, mais claras. Essa diferença gera contraste e isso chega mais próximo ao olho humano, trazendo mais fidelidade para a imagem e mais naturalidade para quem vê.

A inspiração da tecnologia veio do próprio olho humano e da característica das imagens. Quando o sol bate em uma paisagem ou em um objeto, por exemplo, há partes da imagem que ficam mais claras e outras mais escuras e há uma gradação muito grande e sutil entre elas, não é “preto no branco”.

As TVs tradicionais não conseguiam captar essa diferença, por isso, as imagens eram mais opacas. Com o surgimento da tecnologia SDR (Standard Dynamic Range), as cores já ganharam mais profundidade, mas a calibração não era natural e essa gradação acontecia de forma limitada e até rústica, com aquelas pixealizações de preto no fundo da imagem. Com a amplitude e profundidade do pixel no modelo HDR as imagens se tornam muito mais naturais e harmônicas para o olho humano.

Os padrões HDR entram em todas as etapas do processo de um vídeo, que vai desde a captação, edição, compactação, distribuição, calibração até a sua exibição. Para cada uma das etapas existe uma tecnologia diferente e complementar, como HDR10, HLG, Dolby Audio, HDR10+.

Justamente por cada uma dessas etapas do processo é preciso ficar atento e alinhar bem as expectativas em relação ao HDR. Nem toda TV comporta a tecnologia, já que é necessário que ela seja 4K. Mas nem toda TV 4K resolve o problema, ela também precisa ter profundidade de 10bits, enquanto a maioria só trabalha com 8bits, é isso que traz a gradação de cores dos pixels para gerar essa profundidade toda.

E há ainda mais um passo a ser considerado: lembra que a coisa toda começa na captação vídeo? Pois é, o conteúdo também deve ser inteiro trabalhado no padrão HDR, senão a sua super TV não irá entregar o que você espera.

Portanto, nem toda TV suporta HRD, nem toda TV 4K suporta HDR, nem todo conteúdo é produzido para HDR.

Mas as ofertas já estão crescendo nas duas pontas, tanto nos aparelhos quanto nos conteúdos. A Netflix, por exemplo, já tem uma gama enorme de conteúdo em HDR, que é devidamente sinalizado para os assinantes.

 

Aqui na 8milímetros já estamos preparados para captar, editar, compactar, calibrar e fazer todo o processo para entregar conteúdo em HDR. Se você está pensando em produzir conteúdo em altíssima qualidade HDR, vamos tomar um café?

Receba nossos artigos!
Nós respeitamos sua privacidade.