Gerando receita com vídeos sob demanda

A internet trouxe não só uma quantidade de conteúdo infinita para consumirmos quanto tipos, plataformas e modelos diferentes de rentabilidade. Abaixo, explicamos quais são os principais modelos para gerar receita com vídeos on demand. 

TVOD

O Transactional Video on Demand é mais conhecido como Pay Per View (PPV), ou seja, um conteúdo específico que você “paga para ver” – literalmente. Nesse modelo, o consumidor paga somente aquilo que quer assistir, e pode ser no esquema de aluguel ou compra.

Ao alugar, você tem o conteúdo disponível durante um período de tempo para ser assistido somente naquela plataforma, ele não é seu e nem ficará à sua disposição à vontade. Quando se compra, aí sim você tem acesso a ele sempre e quando quiser.

É um modelo bastante comum para transmissão de eventos ao vivo e jogos esportivos. A atratividade está em oferecer ao cliente exatamente aquilo que ele tem interesse por um preço bem mais competitivo do que se ele tivesse que comprar todo um pacote de canais ou programação.

SVOD

Com certeza, você conhece bem o conteúdo no estilo Subscription Video on Demand. Netflix, HBOGo, Globo Play são alguns das mais famosas plataformas SVOD, quando você paga uma mensalidade e pode consumir à vontade todo o catálogo de conteúdo disponível.

Funciona muito bem para filmes e, principalmente, séries, quando o conteúdo é dividido em vários episódios e o consumidor pode assistir a tudo no seu tempo, em qualquer lugar do mundo, e quando quiser.

AVOD

O YouTube é um dos principais expoentes do modelo Advertisement-supported Video on Demand, quando a plataforma disponibiliza conteúdos grátis (onde não precisa pagar nem uma mensalidade e nem por consumo) e espaço para publicidade. É uma forma inteligente e eficaz de monetizar os vídeos e gerar receita tanto para a plataforma quanto para quem produz o conteúdo. E o usuário, claro, se beneficia do acesso gratuito em troca de consumir uma publicidade mais direcionada e específica para seu perfil e de acordo com o tipo de conteúdo que tema maior interesse.

É um modelo que continua crescendo e um dos mais fáceis para as empresas entrarem no meio de divulgação digital.

Híbrido

Como o nome se faz entender, é uma mistura de dois ou mais dos modelos anteriores. É possível inserir publicidade em um modelo de assinaturas, ou mesmo um conteúdo restrito pay-per-view dentro de uma plataforma de assinaturas.

Tudo depende de quais os tipos de audiência você quer conversar nos seus vídeos, pois dentro de um modelo híbrido você consegue captar, por exemplo, tanto aqueles que querem pagar somente por uma programação específica quanto para quem quer pagar uma mensalidade e poder assistir ao que quiser, na hora que bem entender.

 

Qual desses modelos mais te a ver com sua marca e seu público?

Receba nossos artigos!
Nós respeitamos sua privacidade.