Dicas para editar vídeos em 360 graus

Já escrevemos aqui, nas tendências de marketing digital para 2019, como os tais vídeos interativos são o novo jogo quando se fala de vídeos.

As pessoas já estão conhecendo, gostando e começando a se acostumar, rapidamente, a vídeos dinâmicos, com os quais podem interagir de alguma forma. A experiência também ganhou lugar nos vídeos.

Uma forma que já foi apresentada ao público, mas que ainda vai crescer em função da sofisticação das tecnologias de hardware, são os vídeos em 360º.

O YouTube e o Facebook foram um dos primeiros veículos a permitir o upload e consumo de vídeos em 360º. Inclusive, o Facebook fez aportes milionários em empresas que desenvolvem tanto software quanto hardware tamanha a confiança deles nesse tipo de interação.

Por se tratar de uma imersão na tela, essas tecnologias são avançadas e nem toda câmera nem todo software conseguem captar e editar essas imagens.

Há inúmeros tipos de câmeras que captam essas imagens.

Desde as produzidas exclusivamente para esse fim:

editar vídeos em 360 rich

Ricoh Theta: câmera de entrada fácil de manusear, por aproximadamente US$300

editar vídeos em 36o giropic

Giroptic 360cam: ainda acumula as funções de TimeLapse e possui 3 câmeras e 3 microfones

Até aquelas como as GoPro tradicionais que são agrupadas com uma estrutura específica e, depois na edição, as imagens são “costuradas” e formam a imagem 360º.

editar vídeos em 360 camera

A diferença mesmo está na edição.

Caso a imagem tenha sido captada em câmeras específicas para o formato 360º, o trabalho fica um pouco mais fácil. Para câmeras que foram agrupadas, já é necessário agrupar também as imagens.

Assim como em um vídeo tradicional, é possível corrigir cor, luz, incluir trilhas sonoras, legendas.

O importante, na edição, é pensar que a dinâmica de um vídeo 360º é diferente de um vídeo tradicional. São os usuários que guiam o que querem ver. Por isso, a inclusão de legendas, ícones e imagens de suporte podem ajudar a dar o direcionamento que deseja.

Alguns softwares são indicados, mas nenhum é gratuito além de sua versão básica de testes (o que é justo, porque são muito complexos). Autopano e Panotour da Kolor, Video Stitch e Insta360 Studio.

E, por fim, há o player. Nem todos suportam o formato e é preciso saber escolher bem, já que pode ser frustrante gravar, editar e, ao compartilhar com os amigos a imagem ficar em 2D estática! O YouTube e o Facebook já suportam o formato e são excelentes ferramentas para distribuição do material.

 

E você? Alguma ideia do que quer fazer em 360°para chamar atenção do seu público? A gente pode te ajudar a tornar isso bem real!

Receba nossos artigos!
Nós respeitamos sua privacidade.