Como vídeos geram mais conversões

Como já escrevemos aqui, vídeos são a grande bola da vez, como tem sido nos últimos muitos anos, mas certamente o mundo digital deu uma super alavancada nesse formato.

São milhões de visualizações diárias, bilhões mensais, divididas entre Facebook, Instagram, YouTube e muitos outros. São vários formatos de vídeo dentro do vídeo: wide, horizontal, vertical, quadrado, live, interativo com pesquisas em tempo real.

Vídeos se consolidaram definitivamente, mas há alguns caminhos que aumentam a chance de um vídeo ter sucesso em um ambiente com milhões de vídeos sendo publicados mensalmente. Separamos aqui 5 dicas de ouro pra aumentar suas chances de conversão com vídeos:

1. Alinhe à estratégia
Com o objetivo em mente, vale considerar que tipo de vídeo é mais adequado.

Por exemplo, se você quer mostrar sua marca recém-criada para seu público, um vídeo publicitário, com o logo bem evidente e uma mensagem curta podem ser o melhor caminho.

Se sua marca já é consolidada e você precisa que as pessoas aprendam a usar seu produto, um vídeo tutorial ou um vídeo explicativo em motion graphics talvez sejam o ideal.

Se a sua empresa se apoia em alguma causa maior e quer mostrar isso pro seu público, vídeos documentários são um caminho bastante convincente para gerar credibilidade.

Se você quer que as pessoas acreditem em sua empresa, vídeos com depoimentos de clientes reais podem ser uma ótima solução e trazer excelentes resultados.

O cuidado é para não trocar as bolas e perder o foco com vídeos longos quando deveriam ser curtos, explicativos quando deveriam ser mais institucionais, e assim vai. Alinhe sua estratégia e seus objetivos ao tipo de vídeo que vai gravar.

2. A mensagem única

O conteúdo do vídeo também deve estar rigorosamente alinhado à mensagem central. Se preocupe em não dar muitas voltas. O importante é ir direto ao ponto.

Pense em uma mensagem única. É tentador querer falar tudo o que a sua empresa oferece em um vídeo, mas lembre-se que a pessoa que vai receber isso do outro lado está sendo impactada por milhares de outros conteúdos e dificilmente lembrará de tudo que você oferece. Uma grande mensagem é mais fácil de lembrar que muitas mensagens. Se você fala de um benefício, as pessoas se lembram de um benefício, se você fala de 10 benefícios as pessoas não se lembram de nenhum.

Use seu poder de síntese e estude bastante qual a melhor – e única – forma de falar do seu produto. Isso vai aumentar muito sua chance de obter conversões.

3. Crie para a rede e no formato certo
De acordo com o lugar onde você for publicar seu vídeo a criação deve partir de regras e critérios diferentes.

Quando a criação é para a TV, o formato é wide e a narrativa mais linear, com começo, meio e fim. Além disso, muitas emissoras determinam uma duração específica que deve ser seguida, como 15 segundos, 30 segundos e assim vai. A preocupação com a qualidade e o tipo de câmera também são enormes, porque o nível de detalhe na TV é enorme também.

Quando a criação é para o YouTube, os vídeos também são wide (agora começaram a testar os vídeos verticais, então vale ficar de olho), a qualidade também é alta e a narrativa pode ser um pouco mais longa que no Facebook, por exemplo, porém os 5 primeiros segundos devem chamar muita atenção e entregar a parte principal da mensagem, já que muitas pessoas pulam os anúncios após esse tempo.

Para Facebook e Instagram a dinâmica já é outra. A coisa é mais rápida, mais dinâmica. 3 segundos é o tempo que você tem para ganhar a atenção e passar a principal mensagem que precisa. As pessoas rolam os posts muito rápido, em média 0.8 segundos, isso mesmo, menos de 1 segundo por post, então você tem que caprichar logo no começo. O legal são as interações que te dão uma boa noção do que as pessoas acharam. Outro ponto dessas redes é o formato. Vídeos quadrados ou na vertical ocupam mais espaço, chamam mais atenção e, consequentemente, levam a melhores resultados (conversões).

4. Mídia
Pouquíssimas vezes um vídeo alcança milhares ou milhões de pessoas pelo simples fato de estar nessas redes. Há casos, mas são raros e nunca é bom depender só disso.

Por isso, investir em mídia, ou seja, pagar para essas redes (Facebook, Instagram, YouTube) exibirem seus vídeos para seu público é a maneira mais eficiente e barata, se comparada com outros veículos (como TV, por exemplo).

O legal dessa história é que se seu vídeo for interessante, com uma narrativa adequada, uma mensagem única e fácil de entender, ele pode ser compartilhado e pessoas que você nem imaginava podem receber sua mensagem e gerar uma conversão.

Outro ponto positivo é a segmentação. Você pode escolher para quem vai exibir seus anúncios de acordo com seu produto. Pode escolher o gênero, a faixa de idade, a localização (até o raio de 1km de um endereço específico – uma loja, por exemplo), os interesses das pessoas, como moda, carros, decoração, arquitetura, esportes, dentre milhares de outros que te ajudem a identificar que aquelas pessoas tem interesse em seus produtos.

5. Otimização

Principalmente quando se fala de internet, o que não falta são dados. Falamos nesse post sobre como medir o sucesso de seus vídeos (link). A partir desses dados é importante aprender e corrigir permanentemente.

O que deu certo, continua e evolui, o que deu errado aprende e muda. Parece simples, mas é onde a maioria das pessoas escorrega e morre na praia e onde a minoria entende a lógica e se dá muito bem.

E aí! Gostou das dicas? Que tal começar suas estratégias de vídeo ou turbinar a que você já tem? Vamos bater um papo?

Receba nossos artigos!
Nós respeitamos sua privacidade.