Como usar Storytelling em vendas

Você sabia que uma história é 22 vezes mais fácil de ser lembrada que um dado solto em uma apresentação? Essa é a base do porquê o Storytelling é tão importante e porque você deveria usar esse recurso também no seu processo de vendas.

Imagine um vendedor dizendo para um casal que acabou de se casar que que um sofá é 30% mais macio, 40% mais durável. Isso gera uma conexão emocional X com uma percepção Y sobre o produto.

Agora, se esse mesmo vendedor começar a falar como o sofá é gostoso para assistir um filme no Netflix em um domingo preguiçoso, porque o sofá é 30% mais macio e que isso poderá ser feito pelo casal até os filhos completarem 10 anos porque é 40% mais durável?

Ele começou a criar uma conexão emocional, além da racional, com seus clientes e a chance de ser lembrado é muito maior.

Claro que esse foi um exemplo mais direto e menos estruturado, mas serviu como referência de Storytelling aplicado a vendas.

As histórias mais estruturadas seguem um determinado padrão, mas não se prendem a ele necessariamente.

Normalmente, o Storytelling conta com:

  • Um herói: para as pessoas se identificarem. Pode ser um anti-herói também, alguém que não seja perfeito, que tenha erros e acertos
  • Um desafio: algo que seja difícil de conseguir, como organizar as tarefas do dia sem que elas se atropelem, ou arrumar a casa de forma mais eficiente em função da falta de tempo
  • Um mentor: alguém que auxilia o herói, ou anti-herói, a encontrar uma solução. É aqui que pode caber a empresa.
  • Um clímax: é o momento de maior emoção. Quando o estresse chega ao pico, quando aquele problema se torna insustentável e a solução precisa chegar
  • Uma solução: é aqui que o produto aparece e resolve o problema de forma positiva, leve

Há diversas estruturas possíveis para se contar uma história, mas tem algo importante por trás dessas estruturas. É o fato de que são estruturas, ou seja, é possível quebra-las em partes. Isso é fundamental para conseguir medir qual dessas partes tem surtido mais efeito.

Por exemplo, em uma estrutura de storytelling, é possível fazer vários vídeos diferentes, exibir para seu público-alvo e comparar os resultados. As melhores combinações, ou as melhores histórias, podem servir de suporte para o time de vendas, como um modelo pré-testado e com maiores chances de sucesso.

O mesmo vale do processo contrário. O time de vendas pode dar as ideias das histórias que eles contam e tem maior eficiência e você pode estruturar e transformar essas histórias em vídeos para amplificar a mensagem e fazer com que o storytelling e as vendas, por consequência, ganhem escala.

E se quiser falar com a gente sobre esses vídeos de teste, estamos te esperando! 😉

Receba nossos artigos!
Nós respeitamos sua privacidade.