Automação em Marketing Digital

Imagine que você trabalha em uma produtora de vídeos (para nós esse exercício é mais fácil!) e você precisa atualizar seus equipamentos, como câmeras.

Aí, um novo fabricante entra no mercado e quer apresentar essa câmera para você. Ele começa com um banner nos principais sites que você acessa sobre o assunto, te impacta com outro anúncio no seu Facebook e Instagram porque segmentou por interesses, te mostrou um vídeo no YouTube e pagou um influenciador do segmento pra explicar como a câmera funciona.

Você gostou da ideia e clicou no site para conhecer mais. Até cadastrou seu e-mail para receber dicas e notícias porque gostou do conteúdo.

Depois de pouco tempo você começa a considerar aquela marca para fazer um teste. Então, neste exato momento, ao invés de comunicar que o produto chegou ou mostrar um conteúdo bem legal, esse fabricante começou a te enviar e-mails com descontos te levando para os varejistas com os melhores preços.

Percebeu? A mensagem foi mudando:

– Começou com um banner apresentando o produto
– Depois a mensagem ficou mais profunda, explicando mais sobre o produto
– Em seguida fizeram um tutorial com YouTube com um influenciador pra mostrar o uso na prática
– E, por fim, arremataram com descontos levando para varejistas

E os canais e formatos também foram mudando:
– Teve banner em portal de informação sobre o segmento de produtoras de vídeo
– Teve vídeos nos Facebook, Instagram e YouTube
– E-mails com descontos levando para site de compras

O interessante aqui é que cada passo desses foi sendo dado à medida que você ia “respondendo” aos estímulos. Por exemplo, o conteúdo mais profundo sobre o produto só apareceu porque você deu atenção ao banner (ou clicou nele), os tutoriais só apareceram porque você viu esse conteúdo mais profundo e os banners só foram exibidos porque você reagiu a todos os passos anteriores.

Esse fluxo, com base na jornada de compra do consumidor, é impossível de ser bem feito “na mão”, olhando cliente a cliente. Porque serão muitos. Inúmeros. Impossível de lidar manualmente. É aqui que entra a automação de marketing digital.

Com a ajuda de ferramentas desenhadas para isso, é possível determinar esses fluxos com base nessas jornadas. O segredo é preparar todo o conteúdo como banners, e-mails marketing, vídeos. Definir os canais, como Google, Facebook, Instagram, YouTube e E-mail e, em seguida organizar o fluxo e o que acontece se a resposta aos estímulos for positiva ou negativa.

Por exemplo, se você não tivesse interagido com o primeiro banner, qual seria o próximo conteúdo? Em que canal? Ou ainda, se você não tivesse interagido com os descontos na etapa final, será que valeria entregar mais descontos ou mais conteúdo para convencê-lo de que o produto era bom?

Cada pessoa vai reagir de uma maneira, mas o conteúdo sempre será entregue de acordo com suas respostas únicas. Dificilmente alguém seguirá exatamente o mesmo fluxo de outras pessoas, sua jornada é única.

Como tudo em marketing digital é possível de medir, consequentemente é possível tomar ações automatizadas a partir desses dados e, assim, falar com milhões de pessoas dando a nítida sensação de que está falando com cada uma de forma única e exclusiva.

Abaixo, algumas ferramentas que podem ajudar com a automação de alguns desses processos:

RD Station

A porta de entrada da automação de e-mails e outros fluxos. Eles acompanham o lead do momento do clique até a venda do produto em si. O fluxo acontece com base em “pontuações do lead”: de acordo com os pontos que cada usuário vai acumulando com base em seu comportamento e reação à comunicação ele determina qual o próximo tipo de comunicação e canal deverá ser usado. Tem pacotes super acessíveis e vale entrar em contato para conhecer mais.

MailChimp

É focado em e-mail e com ele é possível determinar fluxos de “nutrição do lead”, ou seja, o envio de e-mails com conteúdo relevante até direcionar os possíveis clientes até uma compra efetiva.

Hubspot

Em um passo mais frente e mais avançado, a HubSpot, uma das ferramentas de automação mais conhecidas do mundo, otimiza uma série de processos, que vão desde a mídia, até a criação de landing pages, os disparos de e-mail e muitas outras automações para tornar o processo cada vez mais inteligente.

SharpSpring

Na linha das plataformas mais avançadas a SharpSpring também conta com suporte de automação para praticamente todos os processos e tem uma capacidade de armazenamento bem superior aos concorrentes.

E você? Como está pensando a automação do marketing digital para a sua empresa? Vídeos fazem parte da produção de conteúdo e, para isso, pode contar com a gente! 🙂

Receba nossos artigos!
Nós respeitamos sua privacidade.